“É um orgulho para nós termos um representante na galeria do patrimônio vivo do Estado”, diz Prefeito Sandrinho

Saiba mais informações clicando no link

Afogados da Ingazeira Sandrinho Palmeira José Patriota

Os integrantes do grupo de Coco de Roda Negros e Negras do Leitão da Carapuça, aqui de Afogados da Ingazeira, receberam na manhã desta quinta (17), o diploma de Patrimônio vivo do Estado de Pernambuco, que contempla artistas, coletivos e entidades culturais que preservam e difundem as nossas raízes e tradições culturais.

A entrega aconteceu no Teatro de Santa Isabel, área central do Recife, no dia em que se celebra o patrimônio artístico. Foram dez contemplados ao todo, elevando para 95 o número de integrantes da galeria do Patrimônio Vivo de Pernambuco.

O Prefeito de Afogados da Ingazeira, Sandrinho Palmeira, esteve presente à cerimônia acompanhado do Deputado Estadual, José Patriota, do Secretário Municipal de Cultura, Augusto Martins, do seu adjunto Luciano Pires, e da poetisa Isabelly Moreira, uma das coordenadoras locais do processo de busca pelo reconhecimento do coco de roda do leitão como patrimônio vivo de Pernambuco.

Estou muito feliz com esse reconhecimento, com essa conquista do nosso coco de roda. É um orgulho para Afogados, para o nosso povo, termos em nossa terra uma expressão cultural tão importante e que agora é, reconhecidamente, patrimônio vivo do nosso Estado,” afirmou o Prefeito Sandrinho Palmeira.

Os artistas, coletivos ou entidades reconhecidos como patrimônio vivo, recebem uma bolsa mensal para difundir suas tradições e seus saberes com as novas gerações, de modo a perpetuar a nossa riqueza e identidade cultural.

Confira os demais agraciados hoje com a diplomação:

* As Cantadeiras do Povo Indígena Pankararu (Tacaratu);
* Afoxé Alafin Oyó (Olinda);
* Reisado da Comunidade Quilombola do Saruê (Santa Maria da Boa Vista);
* Caboclinho Canindé (Goiana);
* Troça Carnavalesca Pitombeira dos Quatro Cantos (Olinda);
* Forrozeiro Assisão (Serra Talhada);
* Mestra Nilza Bezerra da Bonequinha da Sorte (Gravatá);
* Ilé Axé Oxalá Talabi (Paulista);
* Mestra Vera Brito (Vicência).

COMENTÁRIOS