“Obra de Panelas II é um respiro de alívio para a Mata Sul”, diz Clodoaldo Magalhães

por Letícia Lima O deputado federal Clodoaldo Magalhães (PV), líder do Partido Verde na Câmara, falou sobre a abertura da licitação para a conclusão da Barragem Panelas II. A obra, que teve início em gestões passadas, estava paralisada desde 2014. O anúncio foi feito pela governadora de Pernambuco, Raquel Lyra, que esteve na região ouvindo as demandas da população. Para Clodoaldo Magalhães, as pessoas que moram em áreas de risco terão mais segurança para viver. “A conclusão da barragem Panelas II é um respiro aliviado para a população da Mata Sul, porque são incalculáveis os prejuízos enfrentados a cada inverno”, comentou o deputado federal. A obra para conclusão de Panelas II está orçada para custar R$ 92 milhões. Deste total, R$ 59 milhões são de obras civis e supervisão, enquanto R$ 33 milhões ficam para a compensação ambiental e segurança de barragens. O início das obras está previsto para dezembro de 2023. O equipamento, que fica em Cupira, no Agreste, faz parte do Sistema de Contenção de Enchentes da Região da Mata Sul, criado após as cheias de 2010 e que previa a construção de cinco barragens, onde apenas a de Serro Azul, em Palmares, foi finalizada em 2017.

Foto: Divulgação

por Letícia Lima

O deputado federal Clodoaldo Magalhães (PV), líder do Partido Verde na Câmara, falou sobre a abertura da licitação para a conclusão da Barragem Panelas II.

A obra, que teve início em gestões passadas, estava paralisada desde 2014. O anúncio foi feito pela governadora de Pernambuco, Raquel Lyra, que esteve na região ouvindo as demandas da população.

Para Clodoaldo Magalhães, as pessoas que moram em áreas de risco terão mais segurança para viver.

A conclusão da barragem Panelas II é um respiro aliviado para a população da Mata Sul, porque são incalculáveis os prejuízos enfrentados a cada inverno”, comentou o deputado federal.

A obra para conclusão de Panelas II está orçada para custar R$ 92 milhões. Deste total, R$ 59 milhões são de obras civis e supervisão, enquanto R$ 33 milhões ficam para a compensação ambiental e segurança de barragens. O início das obras está previsto para dezembro de 2023.

O equipamento, que fica em Cupira, no Agreste, faz parte do Sistema de Contenção de Enchentes da Região da Mata Sul, criado após as cheias de 2010 e que previa a construção de cinco barragens, onde apenas a de Serro Azul, em Palmares, foi finalizada em 2017.

COMENTÁRIOS