Parlamentar debateu políticas de prevenção, diagnóstico e tratamento de saúde

Saiba mais informações clicando no link

Deputado Clodoaldo Magalhães

O deputado federal e líder do Partido Verde na Câmara, Clodoaldo Magalhães (PV/PE), presidiu a audiência pública, nesta terça-feira (22), na Comissão de Saúde, sobre a situação dos casos de Acidente Vascular Cerebral (AVC) no Sistema Único de Saúde (SUS). A doença é uma das principais causas de afastamento do trabalho.

Os convidados apresentaram dados e pesquisas sobre prevenção, diagnóstico e tratamentos dos casos. “AVC é a segunda causa de morte e a primeira causa de incapacidade no mundo. Estima-se que 70% dos indivíduos que sofrem um AVC não retornam ao trabalho e é de suma importância estarmos atentos, do ponto de vista de política pública, sobre o tema e todos os seus desdobramentos”, comentou o deputado Clodoaldo Magalhães.

De acordo com o coordenador-geral de Atenção Especializada do Ministério da Saúde, Rodrigo Cariri, “o AVC é uma emergência médica e o nosso principal objetivo está no atendimento pré-hospitalar e no direcionamento do paciente o mais rápido possível à rede assistencial competente”, afirmou Cariri.

Muitos sintomas são comuns aos acidentes vasculares isquêmicos e hemorrágico, como: dor de cabeça muito forte, de início súbito, sobretudo se acompanhada de vômitos; fraqueza ou dormência na face, nos braços ou nas pernas, geralmente afetando um dos lados do corpo; paralisia súbita da fala ou dificuldade para se comunicar e compreender; e perda súbita da visão ou dificuldade para enxergar.

São fatores de risco ao AVC a hipertensão, diabetes, tabagismo, estresse, colesterol elevado, doenças cardiovasculares, sedentarismo e doenças do sangue.

Participaram da audiência pública na Comissão de Saúde o representante da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Celso Amodeo, a presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida, Marlene Oliveira, e a presidente da Sociedade Brasileira de AVC, Maramelia Miranda Alves.

COMENTÁRIOS